Cancún e Riviera Maia: As ruínas de Tulum

E vamos continuar os posts da viagem??? Hoje vamos mergulhar um pouco no passado, na história do México e do povo Maia. Pra quem não sabe, os Maias representavam uma das civilizações mais desenvolvidas da era pré-colombiana. Tinham sistema de escrita que era único na época e apresentaram avanços notórios nas artes, cultura, matemática, astronomia e arquitetura. Durante muitos anos, desenvolveram cidades gigantescas, densamente povoadas e organizadas espalhadas por toda a America Central, até a chegada dos espanhóis.
Tulum é o remanescente de um dessas cidades Maia e a única que está localizada a beira-mar. Fica a cerca de 200km de Cancún, na direção Sul, mas a apenas 30km do nosso hotel – Por isso disse que é melhor se hospedar um pouco mais ao sul de Cancún se você deseja explorar a região da Riviera Maia. A cidade é cercada por uma muralha de pedra, o que originou seu nome (Tulum pode ser traduzido com “grande barreira”) e também por uma grande barreira de corais que impedia que barcos inimigos invadissem a cidade, pois eles acabavam se chocando com os recifes e afundando. A cidade funcionava como um ponto estratégico tanto militar, como de comércio, mas não foi só por isso que decidi coloca-la no nosso roteiro – o que pesou mais foi mesmo a beleza do lugar…

Ruínas de Tulum
Ruínas de Tulum

Essa era a vista que tínhamos antes mesmo de entrar na cidade. Do alto do penhasco, já era possível ver o mar com essa mistura de tons de verde azul de tirar o fôlego! Para entrar no sítio arqueológico, você paga uma entrada baratinha (cerca de 5-7 dólares) e tem a opção de caminhar até as reínas ou pagar uma passagem pra ir no trenzinho (foi o que fizemos pois estava MUITO quente no dia que fomos). Na entrada do parque tem um aviso enorme dizendo que é preciso pagar uma taxa para portar câmeras fotográficas e GoPro, mas usamos a nossa e ninguém nos cobrou nada.

Na entrada, você também tem a opção de contratar um guia pra contar mais sobre as ruínas. Optamos por não contratar, pois, apesar de muito interessante, a visita com o guia pode acabar demorando mais, então preferimos ir apenas lendo as plaquinhas do lado de cada ruína, que explicam um pouco da história do lugar.

E vamos de look?

Processed with VSCO with c8 preset
Processed with VSCO with c3 preset

Processed with VSCO with c1 preset

 

Optei por um macacão de malha fresquinho da Zara, pela praticidade da peça. Combinei com uma sandália também preta e com o óculos azulzinho pra dar um toque de cor. Pra finalizar e se proteger do sol, é fundamental levar um chapéu e muuuito protetor solar!!!

Processed with VSCO with c3 preset
SABE O QUE NÃO FALTAVA POR LA? LAGARTOS!!

O parque como um todo é super lindo e o passei muito gostoso, mas tem um ponto que, sem dúvida é o mais disputado e uma das vistas mais lindas que já vi na vida! Um mirante de onde é possível observar uma ruína que fica a beira de um penhasco banhado por uma enseada de um mar belíssimo! Essa parte da praia é protegida para para reprodução das tartarugas, por isso fica sempre deserta e tem aquela beleza de natureza intocada que não dá pra descrever. De lá, é possível sentar pra admirar a vista e tirar lindas fotos!

image
PARAÍSO…

Um dos guias estava explicando que essa construção tinha um papel importante para a cidade, pois, além de servir como torre de vigia, a o feixe de luz solar que irradiava da janela da torre, em um determinado horário do dia, iluminava a água em um ponto estratégico, livre de corais, por onde era seguro passar com navios e embarcações, evitando que os navios da cidade naufragassem se chocando aos recifes de corais! Incrível, não é mesmo?

Processed with VSCO with c8 preset

Próximo a esse mirante, há uma escada onde é possível descer e tomar banho no mar, mas acabei não indo… estávamos meio cansados esse dias e preferimos aproveitar o restante da tarde para conhecer o cenote dos ojos, um dos pontos turísticos mais famosos da região. Além dessa praias na reínas, há outras praias próximas que é possível visitar, dentre elas a praia do paraíso, um mar calminho, claro e onde é possível fazer topless, o que pra nós brasileiros pode ser um pouco “diferente” digamos assim…

Processed with VSCO with c5 preset

No próximo post vou contar um pouco da nossa visita ao cenote do ojos que já falei anteriormente! Aguardem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>