#ProjetoGraveto: a avaliação!

E o projeto graveto continua a todo vapor!! Compartilhei nesse post AQUI um pouquinho da minha história de luta com o peso e das minhas estratégias pra tentar mudar essa realidade de uma vez por todas! Inicie o que chamo carinhosamente de projeto graveto, um plano de alimentação, exercício e tratamentos estéticos pra tentar mudar meus hábitos e também o meu corpo.

E vou falar pra vocês – o difícil é começar! Depois que você toma uma atitude e decide levantar do sofá, os resultados aparecem e você vai ficando cada vez mais motivado! E por onde começar? Bom, o que eu fiz e recomendo demais é buscar um profissional qualificado pra fazer uma avaliação inicial de como você está – peso, metabolismo, percentual de gordura e de massa magra. Isso é fundamental pra que você fique por dentro da sua situação atual, possa traçar metas e acompanhar os resultados. E olha, eu achava que tava bem viu, amiga, até, fazer minha avaliação… kkkkk vi que tinha MUITO que melhorar.

Bom, pra ajudar vocês a entender um pouco melhor como funciona esse processo, pedi ao meu médico nutrólogo explicar um pouquinho aqui como funciona esse processo todo e qual a suam importância! Vamos lá?


 

 Você acha que está acima do peso porque retém líquido? Se sente inchada? Sabe como detectar se há realmente esse inchaço? Como medir a retenção de líquido? Sabe como medir a massa de gordura e a massa magra? Sabe o que é, e qual a sua Composição Corporal? Sabe qual o melhor método complementar para planejar, acompanhar e avaliar o processo de emagrecimento e ganho de massa magra?

 

Veja as duas imagens abaixo:

 

 nnnn

 

As duas imagens ilustram pessoas com a mesma altura, mesmo peso e, portanto, o mesmo IMC (Índice de Massa Corporal), mas que possuem Composição Corporal, ou seja, quantidade de gordura, músculo e água, completamente diferentes! Visualmente vemos à direita uma pessoa com grande massa magra, bem diferente da pessoa ilustrada à esquerda.

 

Qual a quantidade de massa magra (Músculo), massa gorda e água dos indivíduos ilustrados na imagem? É fundamental saber qual a Composição Corporal no inicio (diagnóstico) e durante todo o tratamento de obesidade, sobrepeso, para praticantes de atividade física que desejam o aumento de massa magra, sejam jovens ou idosos.

 

É muito comum os pacientes relatarem ter “retenção de líquido” e que estão com o peso aumentado por esse motivo. Será? Pode ser ou não! Antes de iniciar qualquer protocolo de Tratamento Nutrológico, para emagrecimento ou ganho de massa magra, é essencial utilizar o melhor método de avaliação dos compartimentos do corpo.

 

É através do exame de Bioimpedância que conseguimos calcular exatamente a Composição Corporal Atual do organismo e com isso planejamos o protocolo de tratamento, buscando a Composição Corporal Ideal.

 

A Bioimpedância emprega um método não-invasivo, indolor, livre de radiação, rápido e seguro. O equipamento utiliza correntes elétricas seguras e de baixa intensidade, que passam pelo corpo através de oito eletrodos (2 eletrodos em cada membro – mãos e pés) e não oferecem perigo para o organismo.

 

  • Resultados Fornecidos:

 

  • Massa de gordura corporal total e segmentar
  • Porcentual de gordura corporal
  • Massa muscular esquelética corporal total
  • Massa magra de cada segmento corporal
  • Proteína corporal
  • Água intracelular e extracelular – Edema
  • Nível de gordura visceral
  • Minerais
  • Taxa metabólica basal
  • Peso ideal baseado na composição corporal

 

A precisão de um teste envolvendo análise de composição corporal depende das condições do paciente e do ambiente onde o teste é conduzido. Com a Bioimpedância em poucos minutos conheceremos sua Composição Corporal, que é indispensável para direcionarmos seu Tratamento Nutrológico.

 

Conhecendo a Composição Corporal pode-se diagnosticar corretamente cada caso e direcionar o protocolo de tratamento individualizado e direcionado para cada caso. Busque um Médico Especialista e obtenha sucesso no seu tratamento.

 

Mais informações você encontra no site da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN) www.abran.org.br . Lá você encontra também a lista de Médicos Nutrólogos de sua cidade.


Viram aí gente?? depois vou mostrar meu resultados aqui pra vocês, mas só pra adiantar, apesar de ter o IMC normal, meu percentual de gordura deu super alto! o que justifica a flacidez, celulites. O peso pode sim enganar muito! Então, procure um especialista perto de você e faça já sua avaliação! Força na peruca e vamos levantar desse sofá!!!

 

O Dr Luiz Barbosa Neto (CREMEC 13.209) é medico especializado em Nutrologia & Medicina Preventiva com Título de Especialista ABRAN / AMB e Membro Titular da Associação Brasileira de Nutrologia – ABRAN e  do International Colleges for the Advancement of Nutrology – ICAN. Ele atende em Fortaleza – CE na Plasticlinic (Rua Professor Dias da Rocha, N 1511) Tel.: (85) 99808-2303

 

 

 

 

 

#ProjetoGraveto – um pouquinho da minha história

Untitled

E o post de hoje é sobre uma das minha metas de 2016, uma que acho que todo mundo  faz na virada do ano certo? Pois eu também fiz – a promessa de emagrecer, cultivar hábitos de vida e uma alimentação mais saudável, praticar atividade física, enfim, buscar o tão falado ” corpo dos sonhos”.

Tem tempos que eu queria compartilhar mais disso aqui com vocês, mas sempre ficava meio em dúvida por ser um aspecto mais pessoal da minha vida, afinal, não posso só jogar isso aqui, tenho que contar um pouquinho da minha história, me abrir, me expor, e isso nem sempre é fácil. Mas, acabei percebendo que meu objetivo é observar meus leitores como amigos, motivá-los, incentivá-los e mostra que aqui não é só um blog de moda, mas um espaço pra compartilhar experiências e crescer. Prepara que vem texto longo por aí…

Bom, eu sempre tive problema com peso. SEMPRE.

E não vou dizer que isso não me incomodava. Incomodava sim. E MUITO. Sei que tem muita gente que está acima do peso e é feliz, se ama, se aceita e juro gente que acho isso o máximo. Sempre curti os blogs plus size e a confiança e estilo das meninas, principalmente a Tenesha, uma gringa que tem looks lindos!! (vejam o blog dela AQUI). Mas aquilo não acontecia comigo… Durante a faculdade de medicina, o problema piorou muito. Estresse, falta de tempo, plantões malucos e o resultado não foi outro – muitos, MUITOS, quilos a mais. Vale lembrar, no entanto, que mesmo não muito feliz com meu corpo, sempre fui vaidosa, viu gente. Gostava de me cuidar, já era alucinada por esse mundo de blogs, desfiles de moda, revistas, modelos, youtube… isso nunca deixou de fazer parte de minha vida.

Fui levando aquilo, levando e como boa parte das pessoas acima do peso, fiz dietas mirabolantes, de todo jeito que você imaginar, tomei remédios, frequentei milhares de médicos, nutricionistas, academias, gastei muito com receitinhas milagrosas… e nada de emagrecer (na época eu ainda não sabia porque, mas depois descobri… espera que já já chego lá).

Tudo aquilo mudou quando uma das coisas que eu mais temia aconteceu. Numa avaliação quando fui me matricular na milionésima academia veio a surpresa – minha pressão arterial deu altíssima: 170X100mmHg (o normal é até 130x90mmHg). Eu estava doente… transtornada com aquilo, procurei um médico pra realizar uma bateria de exames – e o resultado foi horrível gente. Ainda me lembro daquele dia como se fosse ontem. Além da pressão arterial elevada, estava com colesterol alto, triglicerídeos, e o PIOR, diabetes. Gente, diabetes é uma doença muito séria, e eu fiquei apavorada com aquele resultado. Tentei controlar com dieta por 3 meses mas não teve efeito, então, me vi com menos de 25 anos de idade tomando remédios pra diabetes e pressão alta.

Depois disso, fiz dieta e academia por quase um ano. Perdi peso, uns 15kg mais ou menos, mas não foi o suficiente pra diminuir o problema. Ao invés disso, terminei o ano tomando dois medicamentos pra diabetes ao invés de um. Até que a endocrinologista que me acompanhava, durante uma das consultas de rotina, me perguntou se eu já havia cogitado a cirurgia… Cirurgia? oi? como assim? E ela me disse a seguinte frase: “você é muito jovem. Se não controlar essa diabetes, pode ter problemas renais, cardíacos, perda da visão e muitos outros antes dos 40 anos”. Aquilo foi um choque gente. Guardei aquela informação pra mim durante alguns dias. pensei bem, dividi com meu marido e resolvemos ir no cirurgião e ouvir a opinião dele sobre o meu caso.

A consulta com o cirurgião foi maravilhosa! Ele foi super atencioso, esclareceu as minhas dúvidas e falou o mesmo que a endocrinologista. Era melhor operar, visto que eu já havia feito um ano de acompanhamento com a endocrinologista sem resultados, do que permanecer com diabetes e pressão alta. Na época, eu estava com cerca de 90kg e com um IMC de 38kg/cm², o que junto as doenças que eu tinha, me deixavam apta a passar pela cirurgia bariátrica. O processo de preparo foi longo e contou com vários profissionais, inclusive o que mais me ajudou – a psicóloga. Depois de tudo pronto, levei a papelada pra plano de saúde que autorizou sem problemas.

O procedimento foi super tranquilo, rápido, senti pouquíssimas dores, não tive nenhuma complicação. Como o post está suuper longo já, posso falar mais somente como foi a cirurgia depois caso vocês se interessem, ok? Depois de uma ano de pós-operatório, eu estava FINALMENTE CURADA de tudo que tinha antes de operar. Diabetes, pressão, colesterol… tudo normalzihho, pra minha mais completa alegria. Também consegui chegar no IMC normal e não precisei de nenhuma cirurgia reparadora (graças a Deus).

Mas é nesse ponto que quero que vocês tenham mais atenção. Cirurgia bariátrica não é milagre! Ela te tira da situação de obeso nos 2 primeiros anos. PONTO. Apenas 20% dos pacientes que operam conseguem manter o peso 10 anos depois da cirurgia, isso porque, com o tempo, você volta a comer NORMAL. E falo isso porque hoje eu como normal!! Faz cerca de cinco anos que operei e posso dizer que as vezes nem lembro que esse estômago já foi reduzido do tanto de comida que cabe nele viu! kkkkk Tem que fazer uma educação pesada depois, do corpo e, principalmente da mente!

Fiz terapia e não parei depois de operar. Foi a terapia que me fez perceber a relação patológica que eu tinha com a comida, como eu compensava comendo várias lutas e angústias internas e como eu fazia isso sem nem me dar conta. Foi a terapia que educou minha mente a ver comida com outros olhos, a ter uma relação mais saudável com a balança e com meu corpo. Ah, acreditam que foi ela que me encorajou a criar o blog? Então, se eu não fiz essa declaração formal por aqui ainda, aí vai – Obrigada Denise!!!!

Outra coisa chata que as pessoas não falam sobre a cirurgia é que ela faz você perder peso as custas, principalmente, de massa magra! Isso mesmo! Grande parte do peso que eu perdi foi da minha masa magra, da minha musculatura, o que resulta numa elevação importante do percentual de gordura, que gera flacidez, celulite… E eu não fiz muita coisa pra mudar isso… Emagreci? Sim. Mudei de vida como eu planejava? Não.

Continuava comendo as mesmas coisas que eu comia antes, mas em quantidades menores. Bebia refrigerante, comia doce, tomava caipifruta fim de semana e não fazia NADA de atividade física. Resultado disso? ganhei peso… sim, GANHEI peso! e se tivesse continuado no mesmo ritmo, teria ganhado mais e mais. Assustada com esse ganho, resolvi tentar comer mais saudável, mas aquela coisa assim improvisada, sabe? sem apoio de profissionais, sem orientação. Estabilizei meu peso, podia até me considerar magra, mas estava loonge de ter o corpo que queria. Até que resolvi tomar uma atitude!

Procurei profissionais maravilhosos e finalmente comecei uma atividade física! Estou sendo acompanhada por um médico nutrólogo pra orientação da minha alimentação e por uma fisioterapeuta pra parte de tratamentos estéticos e estou fazendo um exercício chamado de HIT e já tô vendo muito resultado gente!! Nos próximos posts dessa série, vou falar mais um pouco de cada um dos tratamentos, da minha dieta, dos exercícios e da minha evolução! Fiquem ligados aí!!

E qualquer dúvida, só perguntar ok?